terça-feira, 6 de agosto de 2013

ESCADA


sobe-se um degrau
o primeiro
com certa hesitação
depois o segundo
e o terceiro

dos primeiros degraus
mal fica a lembrança

sobe-se então
com desenvoltura
e continua-se subindo
degrau a degrau
rumo à imensidão

vai-se pela metade
pelo terço final
mas não se chega
a lugar algum

há o consolo da paisagem
a vertigem da altura
e mal subimos
cinco metros, seis talvez

sobe-se
continua-se subindo
agora com cautela

a cada degrau
está-se mais perto
do último

e o mundo se resume
a um minúsculo quintal


poema inédito de Carlos Dala Stella





Um comentário:

Lindsey Rocha Lagni (Lindy) disse...

Bom te visitar novamente. Belo poema e belos traços!
Bjos